Resenha: Tudo o que é sólido pode derreter

Hey Hey Desventureiros!

Tudo bem por ai?! Aqui ta tudo uma correria danada. Acho que a faculdade esta tentando me matar. Mas isso não vem ao caso. O fato é que, além disso, ela tem reduzido substancialmente meu tempo de leitura! Meio chato né? Mas em meio a aulas de Introdução ao Direito e Fundamentos da Administração ((ambas absurdamente chatas)) eu terminei de ler um livro que sinceramente eu não queria que acabasse. E é justamente sobre ele que vou falar na resenha de hoje!

 Imagem

Sinopse: O MUNDO DE SOFIA ENCONTRA A LITERATURA! Que tal ser amiga de Thereza, uma jovem cheia de sonhos, e junto com ela e seus amigos da escola envolver-se no mundo da literatura e descobrir que, sim, a vida fica muito mais encantadora na companhia de Machado de Assis, Fernando Pessoa e Camões? Considerado O mundo de Sofia da literatura, Tudo o que é sólido pode derreter traça paralelos entre os livros e a vida, e constrói uma crônica juvenil delicada e divertida, que mistura humor e drama para abordar o tema da transição para a idade adulta. Exibida pela TV Cultura desde 2009, a série já tem sua segunda temporada prevista para 2011. Criada e dirigida por Rafael Gomes (responsável pelo premiado vídeo Tapa na Pantera do YouTube), a série foi recentemente lançada em DVD e já se fala em uma adaptação para o cinema.

Tudo o que é sólido pode derreter é um livro difícil de definir. Embora ele seja classificado como Infanto Juvenil ele aborda tantas questões literárias e filosóficas que eu me perguntei diversas vezes se ele havia sido classificado certo.

O livro tem milhares de referencias literárias muito boas. Na verdade tudo no livro grita literatura e filosofia. Camões, Machado de Assis, Cecília Meireles, José de Alencar e tantos outros autores aos quais muitas vezes somos forçados a conhecer durante o colégio são marcantes no livro, que aborda de um jeito super divertido e fácil de entender os clássicos tão comentados da literatura. Ele traça um paralelo entre os livros e a vida, e de uma forma divertida vai nos mostrando como é a vida da Thereza. Eu relembrei tanta coisa sobre literatura e aprendi tantas outras com esse livro que ainda estou encantada.

Thereza é a protagonista do livro e é uma adolescente como qualquer outra. Filha única, o pai dela tem uma loja de artigos para casa e a mãe dela é psicóloga, é uma família muito divertida. ((Na verdade os pais dela são meio maluquinhos.)) E ela passa por tanta coisa comum na vida dos adolescentes que é impossível não se identificar com ela. Neuras, paixões de escola, rivalidade entre colegas, briguinhas com os pais, curiosidades e inseguranças… Sabe, todas essas coisas pelas quais passamos na época de colégio. E é claro que a Thereza tem a quem recorrer. Marcos e Letícia são os melhores amigos do mundo, apesar de também serem meio estranhos e ela também tem duas amigas que moram fora do país, mas que estão sempre a um telefonema de distancia quando ela precisa ((e viva as amizades virtuais)). Entre superar a morte de um tio muito querido e desvendar os mistérios da vida Thereza me ensinou muitas coisas para as quais sempre busquei uma resposta. Uma das primeiras “lições” do livro, é nos fazer perceber que Estar perto não é físico. A Thereza demora um pouco pra entender isso, mas eu consegui entender de cara. E tenho certeza que quem tem família morando longe ou amigos fora da cidade/estado/país, sabe que estar perto definitivamente não é físico.

Algo que eu demorei pra entender foi o significado do titulo. Não fazia muito sentido com a história do livro. Mas então em um momento eu tive um estalo e percebi que realmente Tudo o que é sólido pode derreter. Quantas vezes já não derreteu? Sabe, aquela amizade que você sempre teve certeza que ia ser pra sempre e de repente não é? Ou aquele namorado que você tem certeza que é o cara da sua vida, mas no fim das contas não dá certo? É ai que algo que era sólido derrete e muitas vezes nem percebemos. Algumas coisas aparentemente sólidas já derreteram por aqui e pra vocês?

Bem, sobre a Thereza, ela é uma leitora voraz, que faz umas sacadas muito inteligentes sobre a vida. Mas as coisas só começam a dar certo de verdade pra ela quando ela consegue organizar a bagunça que há dentro dela e por incrível que pareça, quem ajuda a arrumar tudo é o tio dela que já morreu, mas que deixou tantas pistas sobre o sentido da vida que esta mais presente que tudo no decorrer da história. É através dos cartões que ele escreveu, dos presentes que ele deixou e das memórias que ela tem dele que as coisas fazem sentido para ela. Entender a vida não é fácil, entender os sentimentos não é fácil, mas é uma busca constante que continua mesmo depois que o livro acaba.

Um dos meus personagens favoritos é o Marcos. Ele é um aluno novo todo tímido, mas aos poucos ele vai se soltando e se torna um amigo daqueles que sabem tudo o que você quer dizer com um olhar.

Enfim, eu aprendi muita coisa com o livro e realmente espero que ele seja para vocês tão encantador como foi pra mim. Quem sabe se vocês se interessarem não rola uma promoção dele aqui no Desventuras né?!

Beijoos

Maltinee’

PS: Eii, como vocês devem ter visto na sinopse, o livro é baseado em um seriado da TV Cultura. Caso alguém tenha interesse dá pra encontrar todos os episódios na página oficial da série que é essa:  http://www3.tvcultura.com.br/tudooqueesolido/index.php

x)

2 pensamentos sobre “Resenha: Tudo o que é sólido pode derreter

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s