[Resenha] Olho por Olho – Jenny Han & Siobhan Vivian

OLHO_POR_OLHO_1374151306PTitulo: Olho por Olho

Autoras: Jenny Han e Siobhan Vivian

Editora: Novo Conceito

Páginas: 320

Publicação: 2013

Sinopse:

Alguma vez você já quis realmente se vingar de alguém que a ofendeu? Talvez uma ex-amiga que a apunhalou pelas costas, ou um namorado traidor, ou um estúpido da escola que a humilhou desde que você era pequena… Alguma vez você já sonhou em envergonhá-lo na frente de todos? E, então, alguma vez você se uniu com outras duas pessoas para criar um elaborado esquema de destruição e revanche? A maior parte de nós não pode dizer que sim a todas essas perguntas (felizmente). Mas, certamente, todos nós somos capazes de nos identificar com muitos dos sentimentos de Kat, Lillia e Mary em Olho por Olho… No entanto, de um exercício de malícia, de uma simples brincadeira adolescente, o jogo do aqui se faz, aqui se paga poderá assumir proporções trágicas, em que até mesmo as leis da natureza vão se dispor, misteriosamente, a acalmar os corações ofendidos.

Dá pra ver logo de cara que Olho por Olho é um livro rápido, não que seja uma história intensa daquelas que te fazem não querer largar o livro em momento nenhum, mas consegue entreter por um tempo. O tema central do livro é o bullying, mas se formos analisar o tema e os livros sobre o tema por ai ele acaba sendo meio raso.

O livro conta a história de Lillia Mary e Kat, três garotas que não tem muito em comum. Cada capitulo é contato por uma das garotas, alternando o ponto de vista, o que me prendeu na história foi a expectativa de descobrir o que aconteceu no passado de cada uma das garotas e o que as motivam a buscar vingança.

Lillia quer proteger a irmã mais nova dos garotos e resolve se vingar de um garoto que se envolveu com ela. Kat é uma garota um pouco solitária, e guarda certo rancor de seus antigos amigos que a abandonaram em um momento difícil.  E Mary tem algumas feridas antigas provocadas por um garoto com quem ela estudou quando era nova.

A maior parte do livro se passa na escola e aborda alguns temas importantes e sérios para adolescentes além do bullying, como amizade, lealdade, sexo, primeiro amor. Mas todos os temas são tratados superficialmente. Em muitos momentos podemos identificar situações que poderiam ser muito bem desenvolvidas e realmente trazer alguma reflexão importante sobre os assunto, mas não, as autoras preferiram deixar o livro leve e superficial.

As personagens e os planos de vingança também não são muito bem desenvolvidos e elaborados. Acredito e espero, que nos outros livros da série as personagens amadureçam um pouco.

O final do livros é meio abrupto, você está lá, lendo, toda distraída e de repente acabou. Assim do nada. É um livro tecnicamente sem final. Nenhum desfecho.

Pra quem está atrás de uma distração pra um dia calmo e uma leitura leve o livro é indicado, mas não espere grandes revelações e reflexões profundas sobre bullying.

Enfim, espero ter mais sorte com o próximo livro da série.

Quem sabe um enredo mais elaborado e um desenvolvimento maior dos personagens né?!

Beijos

 

Maltinee’

 

PS: E Feliz Ano Novo! Muita paz, saúde, amor e espaço na estante para os livros que virão em 2014! x)

Anúncios

[Resenha] O Momento Mágico – Uma história sobre o amor que desejamos às nossas filhas – Jeffrey Zaslow

O_MOMENTO_MAGICO_1365596698P

Título: O Momento Mágico – Uma história sobre o amor que desejamos às nossas filhas
Autor: Jeffrey Zaslow
Páginas: 320
Editora: Novo Conceito

Ano de Lançamento: 2013

Sinopse – O Momento Mágico – Uma história sobre o amor que desejamos às nossas filhas – Jeffrey Zaslow

Em uma cidadezinha, a 100 quilômetros de Detroit, há uma loja antiga com mais de 78 anos que se tornou um ícone em roupas para casamento e vestidos de noiva. Por ali já passaram mais de cem mil moças: noivas, mães e madrinhas. Seus vestidos vão além de roupas elegantes para mais uma cerimônia: eles representam, no imaginário das noivas e de seus pais, a garantia de uma noite de princesa, um símbolo do “felizes para sempre”. Para estas moças, este lugar é, certamente, uma linha divisória: de um lado está a fé no amor e no romance e, do outro, a ingenuidade e o medo. Da substância desses sentimentos contraditórios, Jeffrey Zaslow selecionou histórias que às vezes nos fazem rir, às vezes nos partem o coração, mas que oferecem um panorama do que é o casamento e do que as famílias ensinam às suas filhas sobre amor e compromisso.

Quando você olha pra capa de O Momento Magico logo imagina uma história muito romântica sobre um casamento perfeito, de um casal perfeito, como aquele que todas nós sonhamos em ter e ser um dia. Mas não é.

O livro conta em suas crônicas mais do que as histórias de noivas escolhendo seu vestido. Ele conta de uma forma deliciosa e doce a história de noivas diferentes, com sonhos diferentes, objetivos diferentes e vidas diferentes.

Eu imagino que quando você decide se casar, quando você encontra “a pessoa”, escolher o vestido de noiva deva ser o momento mais emocionante, de maior reflexão. É quando você vê, de fato, a realização de algo. É a prova concreta de que você está ali, você vai casar e isso vai afetar sua vida inteira de uma forma que só você vai poder dimensionar. O medo, a ansiedade, o amor, a realização, todos os sentimentos e emoções devem vir a tona nesse momento.

Uma loja de vestidos de noivas é uma fabrica de sonhos.

 “Cento e cinquenta quilômetros a noroeste da minha casa, em uma cidadezinha rural com apenas um semáforo, eu encontrei um lugar onde cem mil filhas, acompanhadas de suas mães e seus pais, param para refletir sobre a palavra ‘amor’”. p. 11

Essa loja de vestidos de noivas, a Becker’s Bridal é uma loja especial, onde noivas de todos os cantos dos Estados Unidos vão escolher seu vestidos. O que a torna tão especial é a Sala Magica. Há um palco redondo no meio da sala onde as noivas vão para se verem com os vestidos de todos os ângulos possíveis. A sala é revestida de espelhos do chão ao teto, o que deve fazer desse momento ainda mais especial e único é ver a si mesma refletida em milhares de espelhos com o vestido perfeito, aquele que te acompanhará na realização de um sonho.

O livro é uma reflexão sobre o amor, sobre o significado do casamento, sobre a evolução da sociedade, as mudanças de comportamento de noivas ao longo do tempo. Sobre sonhos. Sobre realizar sonhos. É uma colcha de retalhos, onde cada pedacinho conta uma história diferente, algumas tristes e outras felizes. Algumas de partir o coração outra de fazer você sorrir até as bochechas doerem. Cada crônica conta uma história única.

O livro é simples e apaixonante. É delicado, doce e emocionante. Um livro perfeito para quem acredita em amor e não abre mão de uma boa dose de romance.

Espero que gostem do livro. x)

Beijos

Maltinee’

[Resenha] Lições do Desejo – Madeline Hunter

 

lições de desejo

Título Original: Lessons of Desire

Autora: Madeline Hunter

Editora: Arqueiro

Páginas: 272

Ano de Lançamento: 2013

Sinopse – Lições do Desejo – Madeline Hunter

Atraente, sutil e tentador, lorde Elliot Rothwell é um homem acostumado a fazer sucesso entre as mulheres e a conseguir tudo o que deseja delas. Mas isso não se aplica a Phaedra Blair. A brilhante e exótica editora não parece disposta a ceder a seu pedido e cancelar a publicação das memórias de um membro do Parlamento que podem manchar o nome da nobre família Rothwell. A pedido de seu irmão mais velho, o marquês de Easterbrook, Elliot vai a Nápoles para negociar com Phaedra. Historiador de renome e autor de livros respeitados, tudo indica que ele seja a pessoa ideal para a tarefa. Porém, em vez de encontrar a bela mulher descansando à beira do mar Tirreno, Elliot descobre que ela está presa por causa de uma acusação injusta. Graças ao prestígio da família, o nobre consegue libertá-la, mas também se torna responsável por ela até voltarem à Inglaterra. Percorrendo juntos uma das regiões mais belas e românticas da Europa, eles vão descobrir que discordam de quase tudo o que o outro pensa ou faz – exceto o que fazem juntos na cama. E, nessa aula de prazer, será cada vez mais difícil saber qual dos dois tem mais a ensinar.

Não sei se vocês sabem, mas eu gosto de livros de época. Na verdade eu gosto muito de livros de época.

Esse é o primeiro livro da Madeline Hunter que eu leio e posso dizer que gostei do estilo dela. Ela sabe mesclar situações românticas sem ser superficial ou clichê e com uma linguagem que não é pobre.

O livro é o segundo volume de uma série. A série se chama Os Rothwells e apesar de fazer parte de uma série cada livro tem sua história individual e a ordem em que você lê os livros não interfere no entendimento da historia em si.

Cada livro conta a história de um dos irmãos Rothwell.

Em Lições do Desejo conhecemos Elliot Rothwell, historiador, autor de livros, prepotente e meio arrogante e Phaedra Blair, uma personagem muito diferente do que costumamos ver em romances de época. Ela é adepta do amor livre, mora sozinha, não tem criadas e não se veste ou age de acordo com os costumes e as regras sociais da época. E é claro que ela é discriminada por todos que a cercam, mas eles parecem levar o comportamento de Phaedra como uma consequência da criação a que foi submetida, já que seus pais eram adeptos do amor livre e de uma sociedade sem amarras sociais. Sua mãe Artemis Blair, era uma estudiosa muito considerada no meio acadêmico e era também muito excêntrica.

Elliot e Phaedra se cruzam quando ele tenta a todo custo impedir que ela publique as memorias do falecido pai, nas quais um dos irmão de Elliot acredita conter trechos que podem manchar a reputação da família Rothwell. Decidido a evitar que isso aconteça ele viaja atrás de Phaedra. E mais da metade do livro se passa em vilas e cidades históricas da Itália onde Phaedra está para descobrir algo sobre a própria mãe.

A Itália sempre foi um país onde as crenças religiosas são muito fortes e o estilo de vida de Phaedra vai contra tudo o que a comunidade Italiana acredita e por causa disso ela acaba se envolvendo em alguns problemas, e entre resolver os problemas e manter Phaedra longe de confusão ela e Elliot acabam se envolvendo e se apaixonando. ((como em todos os livros de época, ou não.))

O livro é bem legal. O tema é interessante, mas Phaedra não convence como a mulher independente, forte e a frente de seu tempo que ela deveria ser. Isso porque parece que nem ela está convencida de que é isso que ela quer ser. Eu percebi em alguns trechos do livro que ela é assim muito mais por influencia da mãe durante sua infância e adolescência do que por ela realmente acreditar em tudo o que prega.

Apesar disso o livro é bom e cumpre seu papel de entreter e divertir. Além de ser muito superior aos livros de época que vemos por ai.

A questão principal do livro é que nos faz pensar até onde iremos pela pessoa amada e se devemos abrir mão das nossas crenças e valores para ficar com quem amamos.

Acho que em uma escala de 01 a 05 eu daria nota 3,5 para o livro.

Se algum de vocês já leu por favor me contem o que acharam.

Beijos

Maltinee

x)

[Resenha] Jardim de Inverno – Kristin Hannah

JARDIM_DE_INVERNO_1363383891P

Titulo: Jardim de Inverno

Autora: Kristin Hannah

Páginas: 416

Editora: Novo Conceito

Ano de Lançamento: 2013

 

Sinopse – Jardim de Inverno – Kristin Hannah

Meredith e Nina Whiston são tão diferentes quanto duas irmãs podem ser. Uma ficou em casa para cuidar dos filhos e da família. A outra seguiu seus sonhos e viajou o mundo para tornar-se uma fotojornalista famosa. No entanto, com a doença de seu amado pai, as irmãs encontram-se novamente, agora ao lado de sua fria mãe, Anya, que, mesmo nesta situação, não consegue oferecer qualquer conforto às filhas. A verdade é que Anya tem um motivo muito forte para ser assim distante: uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte esta extraordinária história. Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família… E mudará tudo o que elas pensam que são. 

Nina e Meredith cresceram achando que não eram amadas por sua mãe, Anya. Nada mais justificaria o fato dela as tratar com tanta indiferença e frieza desde a infância, algo que para elas era além da compreensão e sem justificativa. Já o pai dedicava a elas todo amor, carinho e atenção possíveis. Quem sabe para suprir a falta de carinho materno.

Cada uma das meninas desenvolveu um mecanismo de defesa para lidar com a falta de amor demonstrada pela mãe. Meredith se esforça para ser tudo o que mãe não foi, companheira, amorosa e preocupada e Nina foge de responsabilidades familiares e passa a vida viajando pelo mundo, fotografando momentos históricos e sem se apegar a nada e ninguém.

Com o pai muito doente, as duas se reúnem de novo na cidade onde cresceram. E é para o pai que Nina promete que vai fazer a mãe falar.

Persistente e teimosa, Nina convence a mãe a contar pra elas a historia da camponesa e do príncipe. Um conto de fadas que ela contava quando as meninas eram crianças e que nunca chegou ao fim.

“Como era possível que sua vida inteira fosse destilada nessa verdade tão simples? As palavras importam. Sua vida fora definida por coisas ditas e não ditas.”

Quando conto de fadas e vida real se tornam uma coisa só a história evolui de forma comovente, arrebatadora, intimidante e triste. Kristin Hannah tece sob um pano de fundo que todos nós conhecemos uma historia diferente de tudo o que já vimos.

Anya é uma das personagens mais fortes que eu já tive o prazer de conhecer. A forma como ele encara a vida e a morte, e a forma como ela lida com os horrores da guerra, do frio, e da fome sem perder a sanidade é realmente impressionante. Ela é uma sobrevivente e através do seu conto de fadas temos noção de toda a barbárie e o horror que as pessoas viveram na época da segunda guerra mundial.

Quando eu penso em segunda guerra mundial as primeiras coisas que me vem à cabeça são os campos de concentração e como as pessoas sofreram neles. O livro trás uma visão diferente, sobre o que aconteceu na Rússia durante o Cerco a Leningardo e mostra que não temos noção de quantas pessoas sofreram, morreram e perderam tudo em tantos lugares do mundo.

Com uma narrativa que não tenta diminuir nem poetizar a dor, ficamos cientes de que o medo é um paralisador poderoso, que te impede de ver e sentir as coisas ao redor e que te faz agir de uma forma às vezes irracional e também que o verdadeiro amor sobrevive a todas as mudanças que o mundo e a sociedade nos impõem.

“- Perder o amor é algo terrível – Mamãe disse suavemente -, mas virar as costas para ele é insuportável. Você vai passar o resto da vida repassando isso na sua cabeça? Imaginando se se afastou cedo demais ou com facilidade demais? Ou se vai algum dia amar alguém novamente com tanta profundidade?”

Entre lágrimas e sorrisos é o livro que quando acaba deixa aquela sensação de que não é uma historia real, mas que poderia ser.

Se vocês tiverem oportunidade leiam. Porque é uma historia que realmente vale a pena.

Beijos

Maltinee

x)

[Resenha] Will & Will – Um nome, Um destino

Boa Tarde pessoal!

Tudo bem?

Trago hoje a resenha de um livro que li a algum tempo e que gostei muito. Se alguém já leu ou tiver curiosidade de ler o livro depois me contem o que acharam ok?!

WillWillTítulo: Will & Will – Um nome, um destino

Autores: John Green e David Levithan

Editora: Galera

Páginas: 352

Ano: 2013

Sinopse: Em uma noite fria, numa improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra… Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Mas mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em uma aventura de épicas proporções. O mais fabuloso musical a jamais ser apresentado nos palcos politicamente corretos do ensino médio.

Comecei a ler Will & Will imaginando uma história de amor com alguma lição de moral sobre os problemas de preconceito e homofobia. Mas não é, e eu fui maravilhosamente surpreendida.

Will & Will não é uma história de amor e é uma história de amor.

É uma história sobre amor, compreensão, aceitação, coragem, medos, sonhos, reconhecimento e acima de tudo sobre amizade.

“Estar em um relacionamento, isso é algo que você escolhe. Ser amigo, isso é simplesmente algo que você é.”

O livro é muitíssimo real. São situações que qualquer adolescente está sujeito a passar. Eu me vi em tantas passagens do livro que estou até agora encantada com a forma como os autores tratam de diversos temas polêmicos para nossa sociedade conservadora com tanta leveza e normalidade. Eles nos fazem ver os aspectos e preconceitos que permeiam a nossa sociedade com um olhar critico e totalmente novo. O livro é um retrato da juventude atual. Dos seus medos e desejos. Vai do comum ao singular em instantes e se você estiver de coração e mente aberta vai tirar muitas lições de vida dessa história.

O livro intercala em cada capitulo a narrativa de um Will Grayson, personagens diferentes fisicamente, socialmente e emocionalmente. Com histórias únicas que nunca se encontrariam se não fosse realmente o destino. Ou Tiny Cooper.  Em realidade, acho que o livro é muito mais sobre Tiny Cooper do que sobre Will e Will. Ele dá vida à história e é o denominador comum entre os dois Will’s. Tudo gira em torno de Tinny Cooper ((ou assim ele espera que seja)). As histórias se entrelaçam e se encontram em torno e por causa de Tiny Cooper.

Outra coisa que eu gostei muito no livro é relação entre os dois Wills e seus pais. Porque é uma relação cheia de amor. Que aceita, compreende, protege e deixa claro que eles estão sempre ali, para o melhor e para o pior.  Eles estão lá apoiando, suportando e esperando pra dizer o que precisa ser dito, quando precisa ser dito.

Sobre a temática gay, muito se falou na época do lançamento do livro. Só que o livro não é só um romance gay. Tem romance gay sim, mas tem muito mais que isso. É um livro sobre adolescentes e para adolescentes. Seus medos e inseguranças.

O que não impede que um adulto possa se encontrar nele também, e se lembrar que já tiveram tantas duvidas e medos, sonhos e vontades quanto os jovens de hoje em dia.

Com trechos incríveis, e frases marcantes o livro é leitura obrigatória em tempos em que o amor anda tão mutável e diversificado. Fica a lição de que mais importante do que amar e ser amado é respeitar o amor dos outros e suas próprias escolhas.

Vou deixar aqui um dos meus trechos favoritos:

“A carência nunca é uma boa base para um relacionamento. Tem que ser muito mais que isso.”

É isso pessoal, comentem sobre o que acharam. Beijos.

x)

[Resenha] A Arte de Correr na Chuva – Garth Stein

a arte de correr n chuva

Título: A Arte de Correr na Chuva

Autor: Garth Stein

Editora: Ediouro

Páginas: 304

Ano: 2008

 

A Arte de Correr na Chuva – Meu Nome é Enzo. E Esta é Minha História.

Quando Denny resolve adotar um cão para lhe servir de companhia, percebe imediatamente que o destino lhe enviou um amigo especial. O amigo de Denny – Enzo – estará com ele nos melhores e piores momentos de sua vida, pois sabe que seu dono é um vencedor. Enzo é um cão, um cão com uma alma marcada pelo tempo. Denny é um piloto de grande talento, que encontra nas pistas de corrida sua verdadeira vocação. Mas a vida pode apresentar curvas acentuadas e dificuldades a serem superadas no percurso. Um livro que tem muito a nos ensinar sobre amor, tragédia, redenção. Do jeito que só um cão poderia narrar.

 Eu nunca tinha lido um livro de cachorro. Mas eu não tive muita escolha dessa vez porque não tinha nada pra ler de legal em casa. Existem muitos livros sobre animais que fizeram a diferença na vida de seus donos. Mas a história de Enzo é diferente. Tudo nesse livro é diferente de qualquer coisa que eu já tenha lido.

Enzo é fã de corridas de carros e tem alma de piloto. Mais do que isso, como ele mesmo diz, Enzo tem alma de humano.

“Sempre me senti quase humano. Sempre soube que havia algo em relação a mim que era diferente dos outros cachorros. Certo, estou preso no corpo de um cachorro, mas trata-se apenas da carcaça. O que está dentro é que é importante. A alma. E a minha alma é muito humana.”

Enzo é dono de uma inteligência extraordinária e eu me pergunto se todos os cachorros são inteligentes assim ou se é só o Enzo. Eu não sei, nunca tive um cachorro. Ele é sensível, tem ideias ótimas e sabe das coisas. Ele foi criado assistindo televisão e aprendeu muito assim. Ele sabe tudo sobre corridas de carro e um de seus maiores ídolos é Ayrton Senna. Enzo adora ver seu dono correndo também e daria tudo para pilotar.

Ele viu em um programa de TV que quando um cachorro morre como cachorro, se ele estiver pronto, sua próxima vida será como humano. E Enzo está pronto.

 O livro mostra de um jeito singular, encantador e emocionante todo o relacionamento de Enzo e Denny, na alegria e na tristeza.  Eles são companheiros e amigos, mesmo quando Denny arranja uma namorada e não pode se dedicar integralmente a ele, mesmo nos momentos mais tristes, mesmo quando tudo parece perdido, eles não desistem um do outro.

 Quem conta a história é o próprio Enzo, e nos mostra o ponto de vista de um cachorro sobre relacionamentos, atitudes e consequências. Ele não pode falar, mas se pudesse ele resolveria todos os problemas que seu dono não pode resolver.

 Esse livro me pegou de surpresa. Me encantou, me emocionou, me deixou com raiva, tudo ao mesmo tempo. O livro trata de situações cotidianas e diferentes e mostra tantas coisas que nós não vemos, tantas coisas que não conseguimos entender, mas que as vezes são simples. Talvez devêssemos prestar mais atenção nas coisas, nos sons, nas cores, nos cheiros. Em sorrisos e palavras que parecem banais, mas que dizem muito sobre as pessoas. Observar. Esse é o segredo de Enzo. Ele vê. E por não poder falar ele vê com mais atenção ainda.

 “Existem tantas coisas que são ditas sem uma palavra. Existem tantas coisas que são ditas com olhares, gestos e sons. As pessoas ignoram a enorme complexidade da comunicação não verbal.”

 A Arte de Correr na Chuva é um livro irresistível.

Beijos

Maltinee’

PS: Nossa, quanto tempo né gente?! Estava com saudades daqui. x)

 

 

Bom Dia Desventureiros!

Como esta o clima ai pra vocês?!

 

Aqui em São Paulo está um dia deliciosamente perfeito para assistir filmes e comer pipoca!

 

Então, eu vim contar quais são as estreias de hoje!

 

Boca

Sinopse: Hiroito frequentava a Boca do Lixo, região de prostituição em São Paulo nos anos 50 e 60, apenas em busca de aventuras sexuais, até que seu pai é violentamente assassinado e Hiroito é acusado pelo crime. Dois meses depois deste acontecimento, Hiroito compra dois revólveres e se muda para a Boca, tornando-se rapidamente um dos bandidos mais procurados pela polícia.

 

Elenco: Daniel de Oliveira, Hermila Guedes, Milhen Cortaz, Paulo César Pereio, Jefferson Brasil, Leandra Leal

Direção: Flavio Frederico

Gênero: Drama

Duração: 100 min.

Distribuidora: Vinny

Classificação: 16 Anos

OBS: Estreia 28/09 na Grande SP e Santos, e 12/10 em circuito nacional.

Olha, eu sou uma grande entusiasta do cinema nacional então quero ver esse filme. Não tanto pela história mas porque o elenco me parece realmente bom.

Uma curiosidade curiosa, o filme é “antiguinho” foi exibido no Festival do Rio 2010 com o título “Boca do Lixo”, já foi lançado no exterior como DVD e Blu-Ray mas só esta chegando aos cinemas daqui agora.

 

Looper – Assassinos do Futuro

Ambientado em um futuro próximo, um grupo de assassinos conhecidos como Loopers trabalham para um sindicato do crime. Eles são enviados do futuro para o presente, para matarem criminosos antes que os crimes sejam cometidos. Mas quando um deles descobre que foi enviado para o passado para matar a si mesmo, o sistema começa a ser questionado.

 

Elenco: Joseph Gordon-Levitt, Bruce Willis, Emily Blunt, Paul Dano, Jeff Daniels, Piper Perabo

Direção: Rian Johnson

Gênero: Ação

Duração: 118 min.

Distribuidora: Paris Filmes

Classificação: 16 Anos

 

Vou assistir por motivos de: Assisto qualquer coisa com o Joseph Gordon-Levitt. 

 

A Vida Útil

Sinopse: Jorge (Jorge Jellinek)é um homem de 45 anos que trabalha no mesmo lugar há 25. Ainda mora com os pais, não tem nenhuma companheira – e parece não ter tido em um  passado recente. Algo, no entanto, lhe dá algum sentido à vida: é a Cinemateca uruguaia e também as suas poltronas, além das prateleiras empoeiradas e as poucas filas que se formam para as sessões e mostras especiais programadas ali, também por ele. Vivendo numa espécie de “piloto automático”, leva sua vida do trabalho para casa e vice-versa. Até que a situação financeira da instituicão só piora e agora ele corre o risco de perder seu emprego e, pior, viver sem sua rotina.

Elenco: Jorge Jellinek, Manuel Martinez Carril, Paola Venditto

Direção: Federico Veiroj

Gênero: Drama

Duração: 70 min.

Distribuidora: Vitrine Filmes

A primeira vista eu pensei “Meu Zeus esse filme deve ser tããão chato” mas resolvi pesquisar um pouco a respeito e as criticas são tão positivas e falam tão bem da delicadeza do filme que agora eu quero ver de qualquer jeito. E isso significa procurar algum cinema alternativo aqui por SP porque as grandes redes não estão exibindo. ((é sempre assim, filmes não comerciais são negligenciados independente da qualidade)).

 

Olha, não sei vocês, mas eu acho que essa semana estamos muitíssimo fracos de estreias. Só três! E uma delas nem vai estrear no país inteiro!

 

Oras, isso não é nada legal.

 

Enfim, é o que tem pra hoje.

 

Beijos

Maltinee.

 

PS: Gostaria de deixar aqui registrada a minha indignação por ter milhares de filmes que estreiam em apenas UMA cidade do país, com sessões para apenas um dia da semana e em horários totalmente absurdos. O resto do Brasil também quer assistir esses filmes ok?! ((pelo menos eu quero))