[Resenha] Will & Will – Um nome, Um destino

Boa Tarde pessoal!

Tudo bem?

Trago hoje a resenha de um livro que li a algum tempo e que gostei muito. Se alguém já leu ou tiver curiosidade de ler o livro depois me contem o que acharam ok?!

WillWillTítulo: Will & Will – Um nome, um destino

Autores: John Green e David Levithan

Editora: Galera

Páginas: 352

Ano: 2013

Sinopse: Em uma noite fria, numa improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra… Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome. E, aparentemente, apenas isso os une. Mas mesmo circulando em ambientes completamente diferentes, os dois estão prestes a embarcar em uma aventura de épicas proporções. O mais fabuloso musical a jamais ser apresentado nos palcos politicamente corretos do ensino médio.

Comecei a ler Will & Will imaginando uma história de amor com alguma lição de moral sobre os problemas de preconceito e homofobia. Mas não é, e eu fui maravilhosamente surpreendida.

Will & Will não é uma história de amor e é uma história de amor.

É uma história sobre amor, compreensão, aceitação, coragem, medos, sonhos, reconhecimento e acima de tudo sobre amizade.

“Estar em um relacionamento, isso é algo que você escolhe. Ser amigo, isso é simplesmente algo que você é.”

O livro é muitíssimo real. São situações que qualquer adolescente está sujeito a passar. Eu me vi em tantas passagens do livro que estou até agora encantada com a forma como os autores tratam de diversos temas polêmicos para nossa sociedade conservadora com tanta leveza e normalidade. Eles nos fazem ver os aspectos e preconceitos que permeiam a nossa sociedade com um olhar critico e totalmente novo. O livro é um retrato da juventude atual. Dos seus medos e desejos. Vai do comum ao singular em instantes e se você estiver de coração e mente aberta vai tirar muitas lições de vida dessa história.

O livro intercala em cada capitulo a narrativa de um Will Grayson, personagens diferentes fisicamente, socialmente e emocionalmente. Com histórias únicas que nunca se encontrariam se não fosse realmente o destino. Ou Tiny Cooper.  Em realidade, acho que o livro é muito mais sobre Tiny Cooper do que sobre Will e Will. Ele dá vida à história e é o denominador comum entre os dois Will’s. Tudo gira em torno de Tinny Cooper ((ou assim ele espera que seja)). As histórias se entrelaçam e se encontram em torno e por causa de Tiny Cooper.

Outra coisa que eu gostei muito no livro é relação entre os dois Wills e seus pais. Porque é uma relação cheia de amor. Que aceita, compreende, protege e deixa claro que eles estão sempre ali, para o melhor e para o pior.  Eles estão lá apoiando, suportando e esperando pra dizer o que precisa ser dito, quando precisa ser dito.

Sobre a temática gay, muito se falou na época do lançamento do livro. Só que o livro não é só um romance gay. Tem romance gay sim, mas tem muito mais que isso. É um livro sobre adolescentes e para adolescentes. Seus medos e inseguranças.

O que não impede que um adulto possa se encontrar nele também, e se lembrar que já tiveram tantas duvidas e medos, sonhos e vontades quanto os jovens de hoje em dia.

Com trechos incríveis, e frases marcantes o livro é leitura obrigatória em tempos em que o amor anda tão mutável e diversificado. Fica a lição de que mais importante do que amar e ser amado é respeitar o amor dos outros e suas próprias escolhas.

Vou deixar aqui um dos meus trechos favoritos:

“A carência nunca é uma boa base para um relacionamento. Tem que ser muito mais que isso.”

É isso pessoal, comentem sobre o que acharam. Beijos.

x)

Anúncios

Livros lidos no mês de Julho

Boa tarde. Tudo bem com vocês?

Vim hoje mostrar a vocês os livros que eu li no mês de julho. Ainda não fiz resenha de todos, porque minhas aulas começaram e a situação começou a ficar tensa.

Ao todo foram 9 livros. Não cumpri minha meta, que eu estimulei, mas em compensação li livros maravilhosos.

Para conferir mais sobre os livros, basta clicar nas capas que vocês vão ser direcionados para o skoob.

1- Terra das Sombras – Alyson Noel

Esse é o terceiro livro da saga Os Imortais. Eu gosto dos personagens, só que esse livro me deixou com muito tédio.

Achei a história mais fraca que os dois primeiros livros da série.

Como eu li ele pelo celular, fica mais difícil ainda prestar atenção na história e sem prestar atenção, ela fica meio chata.

Eu ainda quero acabar de ler esse série, mas se os livros continuarem assim, vou ter que abandonar.

E abandono de leitura é uma coisa que eu não gosto de fazer.

2- Um Gato de Rua Chamado Bob – James Bowen

O livro é narrado em primeira pessoa e é uma história verídica.

Tenho uma pequena queda por gatos e desde quando vi a capa desse livro eu fiquei curiosa para ler.

A Novo Conceito mandou esse livro pro blog e eu resolvi ler.

A história é emocionante, principalmente para os amantes de gatos.

Vou fazer o mais rápido possível a resenha dele pra vocês.

E outro motivo que me fez amar mais o livro foi o cenário. Londres, minhas vida ❤ Amei conhecer a cidade pelos olhos do James.

3- A Probabilidade Estatística do Amor a Primeira Vista – Jennifer E. Smith

A capa é linda. Ela me ganhou de primeira.

A sinopse fala de uma menina que perdeu o voo por causa de 4 minutos de atraso. E é por esses 4 minutos que a vida dela muda.

Como dá para perceber, o livro é meio que um romance. Mas além disso ele é engraçado e fofo.

Sua leitura é rápida e simples. Esse é um livro que você reler várias vezes e nunca se cansar.

O casal de personagens dele é muito simpático. Não tem como não amar.

Continuar lendo

Resumo do Mês – Maio

 

Boa tarde. Tudo bem com vocês?

A semana passada e essa semana está sendo muito corrida (faculdade). Me desculpem. 🙂

Então o post de hoje é um pequeno resumo do que aconteceu no mês de maio.

Livros Lidos em Maio:
• O Menino do Pijama Listrado – John Boyne (RESENHA)
• O Livro do Amanhã – Cecelia Ahern (RESENHA)
• A Marca de Atena – Rick Riordan
• Sem Deixar Rastros – Harlan Coben (RESENHA)
• O Lado Bom da Vida – Matthew Quick
• O Guia do Mochileiro das Galáxias – Douglas Adams
• O Restaurante no Fim do Universo – Douglas Adams
• A Vida, o Universo e Tudo Mais – Douglas Adams
• Sombra – Michael Morpurgo
Livro Favorito do Mês:
Fico entre A Marca de Atena e Sem Deixar Rastros.

Resenhas Postadas em Maio: 
As Violetas de Março – Sarah Jio
O Livro do Amanhã – Cecelia Ahern
Sangue Quente – Isaac Marion 
Uma Questão de Confiança – Louise Millar
Sem Deixar Rastros – Harlan Coben

Eventos de Maio:
Lançamento – A Marca de Atena
Encontro do Clube do Livro de Goiânia

Eu queria ter lido mais livros e feito mais resenhas, mas o tempo não deixa. E vocês, o que leram  em maio?

Livros lidos no mês de Abril

Boa tarde meu povo. Tudo bem com vocês?

Resolvi fazer esse post para mostrar a vocês os livros que eu leio todo mês. Como eu participo de muita promoção nessa blogosfera eu visito muitos blogs, e nesses blogs eu sempre vejo posts desse tipo. Então resolvi fazer também. 🙂

Nesse mês de abril eu pensei que ia dar conta de ler mais de oito livros, mas eu empaquei em um deles e acabei lendo só seis.

Ainda não fiz resenha para nenhum deles por que tá na semana de N2 na faculdade e eu tô ficando doida (quase que literalmente).

Vamos a lista.

thbt

 1 – Uma questão de Confiança – Louise Millar (Skoob)
Sabe aqueles livros que você lê e acha a maioria da história legalzinha, mas sente que ficou faltando algo pra ela ter ficado realmente boa? Poisé. Esse livro é um deles. E o mais estranho é que a  autora embaralho a história e quando você vai ver no começo da história uma pessoa é boa e no final ela é a má. É uma confusão (literalmente). Pra quem lê o resumo do livro pensa que ele é sobre mães e tal, claro que tem a parte da maternidade, só que a autora vai colocando outros assuntos, outros dramas e ai fica muita coisa misturada. Eu realmente não curti ele. E o pior que foi uma decepção, porque pela capa eu pensei que o livro ia ser maravilhoso.
Conto mais quando fizer a resenha (o que vai dar um pouco de trabalho, já que não gostei do livro).

 2- Proteja-me – Juliette Fay (Skoob)

Uma das coisas que eu percebi depois de terminar de ler o livro é que a capa meio que contradiz com a história.

O livro é narrado por uma mulher que perdeu um marido e pelo amor de Deus, ela fica de luto o livro inteiro. Ela fica tão triste mais tão triste que a tristeza dela passou pra mim.   Eu achei esse um pouco muito ruim do livro. Tá eu sei que ela perdeu o marido e isso pode deixar a pessoa triste, mas o que ela tava narrando era depressivo demais.
Sabe o livro que eu falei que empaquei lá na introdução? Poisé, é esse. A leitura foi super monótona. O final foi até legalzinho, mas a autora não conseguiu me ganhar só pelo final.
Continuar lendo